Risk Factors that Corroborate for Pregnant Women Admission with Preeclampsia in ICU

Authors

  • Ana Paula Agostinho Alencar Faculdade de Medicina do ABC Hospital Regional do Cariri
  • Maria Soléria de Albuquerque
  • Fernando Luiz Affonso Fonseca
  • André Alencar Moreira
  • Mirlla Michelle Alves Uchôa
  • Sérgio de Araújo
  • George Nilton Nunes Mendes
  • Hermes Melo Teixeira Batista
  • Regina Petrola Bastos Rocha

DOI:

https://doi.org/10.3823/2085

Keywords:

Pre-eclampsia, Risk factors, pregnant women, ICU

Abstract

 The Hypertension in pregnancy can be termed syndromes Hypertensive of Gestation, where we have pre-eclampsia as the most serious, which can compromise the life of the pregnant woman and the fetus / newborn, leading to admission to the Intensive Care Unit for these can receive more specific care and prevent the occurrence of other complications. This study aimed to investigate risk factors that support for the development of pre-eclampsia and its admission to the ICU. This is an integrative literature review study with work resulting from scientific productions, and an exploratory descriptive nature, which is within the qualitative analysis. It was noticed that there is much to be studied and clarified regarding Preeclampsia because the jobs available in the literature showed a deficit of knowledge and shock information about the causes and care where these are often only provided when it is already the most serious stage, and may be a consequence of poor prenatal care. Are remarkable advances that the health system has been presenting in the reduction of maternal and perinatal morbidity and mortality rates, however there is still much to be revised as a way of welcoming and working with this audience, as much see a mechanized service, as the prevention of pre-eclampsia should be accepted by pregnant women as an essential care to be performed during pregnancy.

Author Biography

Ana Paula Agostinho Alencar, Faculdade de Medicina do ABC Hospital Regional do Cariri

departamento de escrita científica da FMABC

References

Peraçoli JC, Parpinelli MA. Síndromes hipertensivas da gestação: identificação de casos graves. Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, São Paulo, v.27, n.10, p.627-634, 2005.

. Santana FSN, Silva GAP, Malacarne RR, Toledo Neto JL, Popolin MP, Marzola C. Atuação da enfermagem em urgências- Gestação de alto risco- Hipertensão arterial, p.653-673, 2010.

. Assis TR, Viana FP, Rassi S. Estudo dos Principais Fatores de Risco Maternos nas Síndromes Hipertensivas da Gestação. Sociedade Brasileira de Cardiologista, v.91, n. 1, p.11-17, 2008.

. Gonçalves R, Fernandes RAQ, Sobral DH. Prevalência da Doença Hipertensiva Específica da Gestação em hospital público de São Paulo. Revista Brasileira de Enfermagem, v.58, n.1, p.61-64, 2005.

. SBC-Sociedade Brasileira de Cardiologia. VI Diretrizes Brasileiras de Hipertensão, Rio de Janeiro, v.95, n.1, p.1-51, 2010.

. Peixoto MV, Martinez MD , Valle NSB. Síndromes hipertensivas na gestação: estratégia e Cuidados de enfermagem. Revista de Educação, Meio Ambiente e Saúde, v.3, n.1, p.208-222, 2008.

. Pascoal IF Hipertensão e gravidez. Revista Brasileira de Hipertensão, v.9, n.3, p.256-261, 2002.

. Souza AR, Amorim MR, Costa AAR, Noronha Neto C. Tratamento anti-hipertensivo na gravidez. Acta Médico Portuguesa., v.23, n.1, p.77-84, 2010.

. Siqueira F, Moura TR, Silva SS, Eraçoli JC. Medicamentos anti-hipertensivos na gestação e puerpério. Comitê de Ciências Saúde, v.22, n.1, p.55-68, 2011.

. Reiners AAO, Dióz M, Teixeira NZF, Gonçalves PMS. Diagnósticos de enfermagem em gestantes hipertensas. Revista Mineira de Enfermagem-REME, v.13, n.2, p.232-237, 2009.

. Aguiar MIF, Freire PBG, Cruz IMP, Linard AG, Chaves ES, Rolim. Sistematização da assistência de enfermagem a paciente com síndrome hipertensiva específica da gestação. Revista Rene. Fortaleza, v.11, n.4, p.66-75, 2010.

. MARQUES, C. L.; CUNHA, L. R.; REHBEIN, F.; SILVA, M. L. S.. Doença Hipertensiva Específica da Gestação em uma Unidade Básica de Saúde de Pelotas. Congresso de Iniciação Científica. Universidade Federal de Pernambuco, 2011.

. Mendes KDS, Silveira RCCP, Galvão CM. Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto contexto - enferm., Florianópolis, v.17, n.4, p.758-764, 2008.

. Dalfovo MS, Lana RA, Silveira A. Métodos quantitativos e qualitativos: um resgate teórico. Revista Interdisciplinar Científica Aplicada, v.2, n.4, p.1-13, 2008.

Leopardi MT . Metodologia da Pesquisa na Saúde. 2ª Ed., Florianópolis: NFR/UFSC- Pós-Graduação de Enfermagem, 2002.

. Gomes AG, Donelli TMS, Piccinini CA, Lopes RCS. Maternidade em Idade Avançada: Aspectos Teóricos e Empíricos. Interação em Psicologia, v.12, n.1, p. 99-106, 2008

. Moura ERF, Oliveira CGS, Damasceno AKC, Pereira MMQ. Fatores de risco para síndrome hipertensiva específica da gestação entre mulheres hospitalizadas com pré-eclâmpsia. Cogitare Enfermagem, v.15, n.2, p.250-255, 2010

. Vettore MV, Dias M, Domingues RMS, Vettore MV, Leal MC. Cuidados pré-natais e avaliação do manejo da hipertensão arterial em gestantes do SUS no Município do Rio de Janeiro, Brasil. Caderno de Saúde Pública, v.27, n.5, p.1021-1034, 2011.

. Sampaio TAF, Santana TD, Hanzelmann RS, Santos LFM, Montenegro HRA, Martins JAA, Helena AAS, Ferreira DC. Cuidados de enfermagem prestados a mulheres com hipertensão gestacional e pré-eclâmpsia. Revista de Saúde Física & Mental- UNIABEU, v.2 n.1, p.36-45, 2013.

. Angonesi J, Polato A. Doença Hipertensiva Específica da Gestação (DHEG), Incidência à Evolução para a Síndrome de HELLP. Revista Brasileira de Análises Clínicas, v.39, n.4, p. 243-245, 2007.

. Lucyk JM, Furumoto RV. Necessidades nutricionais e consumo alimentar na gestação: uma revisão. Comitê Ciências Saúde, v.19, n.4, p.353-363, 2008.

. Melo BCP, Amorim MMR, Katz L, Coutinho I, Veríssimo G. Perfil epidemiológico e evolução clínica pós-parto na pré-eclâmpsia grave. Revista de Medicina Brasileira, v.55, n.2, p.175-180, 2009.

. Martins M, Monticelli M, BrÜggemann OM, Costa R. A produção de conhecimento sobre hipertensão gestacional na pós-graduação stricto sensu da enfermagem brasileira. Revista da Escola de Enfermagem USP, v.46, n.4, p.802-808, 2012.

. Cabral SAL, Costa CFF, Cabral Júnior SF. Correlação entre a idade materna, paridade, gemelaridade, síndrome hipertensiva e ruptura prematura de membranas e a indicação de parto cesáreo. Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, v.25, n.10, p.739-744, 2003.

. Amorim MMR, Katz L, Ãvila MB, Araújo DE, Valença M, Albuquerque CJM, Carvalho ARMR, Souza ASR. Perfil das admissões em uma unidade de terapia intensiva obstétrica de uma maternidade brasileira, Revista Brasileira de Saúde Materna e Infantil, v.6, 2006.

. BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Estratégias para o cuidado da pessoa com doença crônica: hipertensão arterial sistêmica. Brasília: Ministério da Saúde, 2013.

. Coelho TM, Martins MG, Viana E, Mesquita MRS, Camano L, Sass N. Proteinúria nas síndromes hipertensivas da gestação: Prognóstico materno e perinatal. Revista da Associação Médica Brasileira, v.50, n.2, p.207-213, 2004.

Downloads

Published

2016-08-29

Issue

Section

Obstetrics & Gynecology

Most read articles by the same author(s)

<< < 1 2