Community health agent and the interface with the educational actions

Authors

  • Hassyla Maria de Carvalho Bezerra Faculty of Juazeiro-FJN
  • Maria de Fátima Antero Sousa Machado Professor of Regional University Cariri-URCA. Rua Cel. Luis Antonio, 1161, Neighborhood Pepper, Crato, Ceará, Brazil.
  • Jennifer Yohanna Ferreira de Lima Antão Faculty of Juazeiro-FJN
  • Carlos Monteiro Bandeira de Mello Escola de Artes e Humanidades da Universidade de São Paulo. São Paulo, Brazil.
  • Luiz Carlos de Abreu Laboratory Design and Scientific Writing.Department of Basic Sciences, ABC Faculty of Medicine.
  • Tarcia Thalita Bandeira Garcia Faculty of Juazeiro-FJN
  • Grayce Alencar Albuquerque Faculty of Juazeiro-FJN
  • Ana Aline Andrade Martins Faculty of Juazeiro-FJN
  • Mariana Callil Voos Laboratório de Delineamento de Estudos e Escrita Científica. Departamento de Saúde da Coletividade. Faculdade de Medicina do ABC, Santo André, SP, Brazil
  • Italla Maria Pinheiro Bezerra

DOI:

https://doi.org/10.3823/1752

Keywords:

Health Education in Nursing. Agent Community Health, Family Health Strategy

Abstract

Introduction

Within the mandate of all the professionals who make up the Family Health Strategy , health education is common to all . The Nurse as part of the team has a key role in health levels of individuals, families and communities , because the primary purpose of these actions , are guided by the maintenance, promotion, restoration of health , prevention of diseases and disorders and psychological contribution to dealing with the consequences of an imbalance in health disease process can generate a family or community context.

Methods

Descriptive qualitative study conducted in the city of Juazeiro do Norte, Ceará , Brazil , with the subject 17 nurses working in the Family Health Strategy . Was used to collect data, semi-structured interviews and content analysis organization.

Results

It was evident that this is still a perception of limited health education in the prevention of diseases, which may affect the procedures adopted to implement these actions . On the other hand, although with this curative vision care, nurses consider these actions for planning, community health agents , which reveals a care focused on the real needs of the population . However, although they reveal how to easily build these shares access to community workers , point out problems such as lack of management support.

Conclusion

Becomes necessary reorientation of educational practices in health, which depends on the  qualification  through  graduation  and  support  managers  to  ensure  necessary resources to implement them , so that they are geared towards health  promotion, contributing a greater citizen participation to improve the quality of life .

Key words: Health Education in Nursing. Agent Community Health, Family Health Strategy 

Author Biographies

Hassyla Maria de Carvalho Bezerra, Faculty of Juazeiro-FJN

Faculty of Juazeiro-FJN

Maria de Fátima Antero Sousa Machado, Professor of Regional University Cariri-URCA. Rua Cel. Luis Antonio, 1161, Neighborhood Pepper, Crato, Ceará, Brazil.

Professor of Regional University Cariri-URCA. Rua Cel. Luis

Antonio, 1161, Neighborhood Pepper, Crato, Ceará, Brazil.

Jennifer Yohanna Ferreira de Lima Antão, Faculty of Juazeiro-FJN

Faculty of Juazeiro-FJN

Carlos Monteiro Bandeira de Mello, Escola de Artes e Humanidades da Universidade de São Paulo. São Paulo, Brazil.

Department of Maternal and Child Health -Faculda de de Saúde Pública- São Paulo, Brazil

Luiz Carlos de Abreu, Laboratory Design and Scientific Writing.Department of Basic Sciences, ABC Faculty of Medicine.

Laboratory Design and Scientific Writing.Department of Basic Sciences, ABC Faculty of Medicine.

Tarcia Thalita Bandeira Garcia, Faculty of Juazeiro-FJN

Faculty of Juazeiro-FJN

Grayce Alencar Albuquerque, Faculty of Juazeiro-FJN

Faculty of Juazeiro-FJN

Ana Aline Andrade Martins, Faculty of Juazeiro-FJN

Faculty of Juazeiro-FJN

Mariana Callil Voos, Laboratório de Delineamento de Estudos e Escrita Científica. Departamento de Saúde da Coletividade. Faculdade de Medicina do ABC, Santo André, SP, Brazil

Laboratory Design and Scientific Writing.Department of Basic Sciences, ABC Faculty of Medicine.

References

Bittencourt IS. Educação em Saúde: conhecimento socialmente elaborado por Enfermeiras e usuários. Dissertação de Mestrado. Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Bahia, 2010.

Vanderlei MIG, Almeida MCP. A concepção e prática dos gestores e gerentes da estratégia de saúde da família. Ciênc e Saúde Coletiva 2007; 12:443- 53.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Política nacional de promoção da saúde. Brasília, 2006. [Acesso em: 08 mar. 2013]. Disponível em: <http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/pactovolume7.pdf>.

Carvalho PMG. Práticas educativas em saúde: ações dos Enfermeiros na Estratégia de Saúde da Família. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em Enfermagem, Universidade do Piauí, Piauí, 2009.

Rouquayrol MZ, Almeida Filho N (organizadores). Epidemiologia & Saúde. 6. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2003.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde. Glossário temático: gestão do trabalho e da educação na saúde. Brasília, 2008. [Acesso em: 09 fev. 2013]. Disponível em: <http://www.brasilsus.com.br/legislacoes/gm/110154-2488.html>.

Rosa WAG, Labate RC. Programa de Saúde da Família: A construção de um novo modelo de assistência. Rev Latino-am Enfermagem 2005; 13:1027-34.

Santos RC. Trânsito de saberes e campo representacional na visão dos profissionais da saúde da família e do programa de educação pelo trabalho e para a saúde. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal do Rio Grande do Norte, RN, 2010.

Pinafo E. Educação em Saúde: O cotidiano da Equipe de Saúde da Família. Dissertação de Mestrado. Curso de Pós-Graduação em Saúde Coletiva- Universidade Estadual de Londrina. Londrina, 2010.

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria nº 2.488, de 21 de outubro de 2011. Aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes e normas para a organização da Atenção Básica. Brasília: Ministério da Saúde, 2011. [Acesso em: 09 fev. 2013]. Disponível em: <http://www.brasilsus.com.br/legislacoes/gm/110154-2488.html>.

Malfitano APS, Lopes RE. Educação popular, ações em saúde,demandas e intervenções sociais: o papel dos Agentes Comunitários de Saúde. Cad. Cedes, 2009; 29: 361-372.

Alves VS. Um modelo de educação em saúde para o Programa Saúde da Família: pela integralidade da atenção e reorientação do modelo assistencial. Interface - Comunic., Saúde, Educ., 2005; 9:39-52. DOI. HTTP://dx.doi.org./10.1590/S1903.14472012000100008

Barbosa VBA, Ferreira MLSM, Barbosa PMK. Educação permanente em saúde: uma estratégia para a formação dos agentes comunitários de saúde. Rev. Gaúcha Enfermagem, 2012; 33:56-63.

Turato E. Métodos qualitativos e quantitativos na área da saúde: definições, diferenças e seus objetos de pesquisa. Rev Saúde Pública, 2005; 39:507-14.

Bardin L. Análise de conteúdo. 5. ed. Lisboa: Edições 70, 2009.

Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. Resolução 466, de 12 de dezembro de 2012. Dispõe sobre diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. [acesso em 10/02/2013]. Disponível em: http://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2012/Reso466.pdf.

Cervera DPP, Parreira BDM, Goulart BF. Educação em saúde: percepção dos enfermeiros da atenção básica em Uberaba (MG). Ciênc. saúde coletiva [serial on the Internet]. [acesso em 30/05/2013]. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232011000700090&lng=en.

Colome JS, Oliveira DL. Educação em saúde: por quem e para quem? A visão de estudantes de graduação em enfermagem. Texto contexto – enferm, 2012; 21:177-184.

Lopes EM, Anjos SJ, Pinheiro AK. Tendência das ações de educação em saúde realizadas por enfermeiros no Brasil. Rev. Enferm, 2009; 17:273-7.

Oliveira E, Andrade IM, Ribeiro RS. Educação em saúde: uma estratégia da enfermagem para mudanças de comportamento. Conceitos e reflexões.Trabalho de conclusão de curso da Universidade Católica de Goiás - Goiânia, 2009.

Silva CP, Dias MA, Rodrigues AB. Práxis educativa em saúde dos enfermeiros da Estratégia Saúde da Família. Ciência & Saúde Coletiva, 2009. 14:1453-1462.

Chiesa AM, Nascimento DDG, Braccialli LAD, Oliveira MAC, Ciampone MHT. A formação de profissionais da saúde: Aprendizagem significativa à luz da promoção da saúde. Cogitare Enferm, 2007. 12:236-40.

Torres HC, Rozemberge B, Amaral MA, Bodstein RCA. A percepção dos profissionais de saúde da atenção primária sobre educação em diabetes mellitus no Brasil. BMC Public Health. 2010; 10:583-8.

Colomé JS. A formação de educadores em saúde na graduação em enfermagem: concepções dos graduandos. Dissertação. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre; 2007.

Mahmud AJ, Olander E, Eriksén S, Haglund BJ. Health communication in primary health care -A case study of ICT development for health promotion. BMC Medical Informatics and Decision Making. 2013, 13:17.

Cotrim- Guimarães IMA. Programa de educação permanente e continuada da equipe de enfermagem da clínica médica do Hospital Universitário Clemente de Faria: análise e proposições. Dissertação. Fundação Oswaldo Cruz. Rio de Janeiro; 2009.

Sakata KN. A inserção do agente comunitário de saúde na equipe de Saúde da Família. Dissertação - Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto; 2009.

Silva ERP, Cazola LHO, Cheade MFM; Picolí R.P. Atuação dos Agentes Comunitários de Saúde na Estratégia Saúde da Família. Cogitare Enfermagem. 2012. 17:635-41.

Costa SM, Araújo FF, Martins LV, Nobre LLR, Araújo FM, Rodrigues CAQ. Agente Comunitário de Saúde: elemento nuclear das ações em saúde. Ciênc. saúde coletiva 2013. 18:2147-2156.

Alves GG, Aerts D. As práticas educativas em saúde e a Estratégia Saúde da Família. Ciênc. saúde coletiva 2011. 16:319-325.

Fernandes MCP, Backes VMS. Educação em saúde: perspectivas de uma equipe da Estratégia Saúde dTa Família sob a óptica de Paulo Freire. Rev Bras Enferm 2010. 63:567-73.

Carlfjord S, Lindberg M, Andersson A. Staff perceptions of addressing lifestyle in primary health care: a qualitative evaluation 2 years after the introduction of a lifestyle intervention tool. BMC Family Practice 2012; 13:99

Melo G, Santos MR, Trezza MCSF. Entendimento e prática de ações educativas de profissionais do Programa Saúde da Família de São Sebastião-AL:detectando dificuldades. Rev Bras de Enferm 2005. 58:290-295.

Ceccim RB. Ensino, pesquisa e formação profissional na área da saúde:entrevista. Formação 2003. 3:113-120.

Murofuse NT, Abranches SS, Napoleão AA. Reflexões sobre estresse e Burnout e a relação com a enfermagem. Rev Latino-am Enfermagem 2005. 13:255-61.

Pinafo E, Nunes EFPA, Gonzalez AD. A educação em saúde na relação usuário-trabalhador no cotidiano de equipes de saúde da família. Ciênc. saúde coletiva 2012. 17:1825-1832.

Downloads

Published

2015-07-12

Issue

Section

Primary Care

Most read articles by the same author(s)

<< < 1 2 3 4 5 6